quarta-feira, 25 de abril de 2018

Nem tudo foram Cravos


44 Anos se passaram, Portugal não só mudou, como as mentalidades e objectivos de vida.
Nem tudo foram cravos, muito foram espinhos sem rosas.
Na maioria, os portugueses não estavam elucidados e muito menos, preparados, para uma real democracia.
Inicialmente, muitos confundiram, a palavra liberdade, com libertinagem.
Na generalidade, éramos e somos, um País pouco politizado, a politização foi acontecendo, na maioria tendenciosa e ideológica.
Um falso sentido de igualdade, tiveram consequências graves na economia, que junto, com a incompetência política e o oportunismo, nos deixaram na situação vigente.
Aos poucos, o descrédito nos agentes políticos e objectivos proclamados, mas não alcançados, originou o afastamento, dos portugueses, de uma política participativa.
Hoje podemos dizer, que vivemos numa democracia desencontrada, onde a incógnita (abstenção) reina, com desânimo e desilusão.
Motivo por o qual, muitos criam castelos saudosistas, outros desconhecem e confundem as razões, do 25 de Abril.
Na realidade, todos comungam do descrédito, da classe política nacional.
Sempre português
VitalBicho

VitalBicho E Portugal- Google +
Comentários de notícias publicadas nos jornais