sábado, 11 de março de 2017

A saga continua, para a oposição

A saga continua, com as mesmas vertentes, no calor verbal, na Assembleia da Republica, na Caixa Geral de Depósitos e nas ditas transferências para offshores.
Das acusações mutuas e nada conclusivas, deixam sim, um retrato da classe politica, em Portugal.
Confesso que não vejo, outros assuntos, com relevância, para uma oposição, não reposta, do desaire e não crédula, em ser oposição.
Mas Portugal segue o seu caminho, se as esquerdas, não ficassem zangadas comigo, diria, que vivemos mais perto, da Social-democracia, de que nos anos, do anterior governo, PSD/CDS.
Vivemos sim, mais portugueses, embora cumpridores, dos acordos assinados.
Nem tudo vai bem, mas estamos, bem melhor, vai-se sentido e aumentando, a esperança.
As águas não são, tão turvas, mas preciso ser prudente, ainda não navegamos, em águas límpidas.
Depois da tempestade, não pode “como no ditado” vir a bonança, preciso fortalecer, alguns alicerces.
Não precisamos é de uma oposição agoirenta e não construtiva.
Muito tenho referido, ao vazio politico, deixado por os primários ideais, ou conceitos
Democráticos, do PSD e do CDS.
Sempre português
VitalBicho